domingo, 5 de dezembro de 2010

TEXTOS SOBRE MORNIDÃO E AFINS...



- I -

“Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos,um livro mais ou menos.
Tudo perda de tempo.
Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo.
O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia.”

(Martha Medeiros, trecho de “O Divã”)

- II -

(...) “Gostaria mesmo que você me visse e assistisse minha vida sem eu saber. Ver o que pode suceder quando se pactua com a comodidade da alma”. (...)

(Clarice Liscpetor, “Minhas Queridas”)


- III -

“Os lugares mais quentes do inferno foram reservados para aqueles que, em momentos de crise, mantêm a sua neutralidade.”

(Dante Alighieri)


- IV -

“Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca”.

(Apocalipse 3:16)