sexta-feira, 11 de março de 2011

Orunamamu

Leo,
Obrigada pelo livro. Ele me foi muito útil!

***
"Uma vez, há muito tempo, muito longe, havia um alfaiate. Era um homem muito pobre.  Na verdade, pode-se mesmo dizer que "estava nas lonas." Tudo o que conseguia a partir do seu trabalho de costura necessitava ser aplicado no negócio. Um dia, este alfaiate viu que precisava de um sobretudo novo para o inverno que se aproximava. Não tinha dinheiro para um tecido novo e ficou desesperado. Então teve a idéia de ir à loja do tecelão. Lá, pegou todos os bocadinhos de tecidos inutilizados do chão e levou-os para casa, trabalhou a noite toda, cortando e cozendo até chegar de manhã. Daqueles trapos fez um novo sobretudo com as texturas e as cores mais incríveis. Com grande orgulho levava  o casaco onde quer que fosse, recebendo muitos elogios. Vestiu-o e tornou a vesti-lo até  tornar-se muito gasto. Mas quando pôs o casaco esfarrapado na mesa de cortar, viu que havia ali tecido suficiente para uma túnica. Mas uma vez cozeu durante a noite e de manhã tinha uma bela túnica colorida. Quando a túnica ficou gasta, fez um colete. Do colete, virou um cachecol e daí, um botão. Quando o botão estava a cair viu que tinha o suficiente para fazer uma história. E é esta que acabei de contar."

Mary Beth Washington ou, simplesmente, Orunamamu, a Pohsuan  Zaid

Extraído
Phil Cousineau
Editora Estrela Polar


Coincidência ou Destino?