terça-feira, 12 de abril de 2011

EXAGERADA? TAMBÉM SOU!


Mas teria eu a audácia de admiti-lo com tanta veemência? Creio que não.

Teria que brigar muito, discutir mais ainda, e dar uma de louca. Então, como disse em outro post que reeditei hoje, “Vou na valsa...A vida é tão rara..." (Lenini)  e ainda vou cantando... meio letárgica, mas está bom demais!  

 ***

"Exagerada toda a vida:

minhas paixões são ardentes;

minhas dores de cotovelo, de querer morrer;

louca do tipo desvairada;

briguenta de tô de mal pra sempre;

durmo treze horas seguidas;

meus amigos são semi-irmãos;

meus amores são sempre eternos

 e meus dramas, mexicanos!"


Clarice Lispector