quinta-feira, 7 de março de 2013

Neruda...

De noite, amada, amarra teu coração ao meu
             e que eles no sonho derrotem
                            as trevas como um duplo tambor
                                           combatendo no bosque
                                                        contra o espesso muro das folhas molhadas.(...)


                                                                                                            Pablo Neruda