terça-feira, 22 de julho de 2014

A quem interessar possa


Bom dia, Mundo!
Mais uma oportunidade de viver. 
Compartilho um comentário que fiz a um post, em algum momento, e nem preciso contextualizar.

"...De fato, muitas coisas poderiam ser diferentes, sem mesuras e melindres; mais objetivas e  isso sem perder o prazer.

Aliás, por esse prazer, confesso não abrir  mão das descobertas próprias,  propositadas  e intempestivas . Afinal, eu não nasci sabendo.
Mas o bom mesmo é que podemos aprender de tudo e passar incólumes pela necessidade da especialização.

Por mim, dane-se o guarda-roupa, o espelho, os PFs chiques e as curvas pregadas pela mídia.

Viva a minha imagem, a minha autoestima, o desejo de ser eu mesma, com (ou sem) os meus medos, defeitos e delírios...

Sim. É o momento do “eu- eu-pra mim”. Deve ser assim ou realmente serei inútil, se não tiver o que oferecer a mim mesma.

Minha frase? “Dependo, mas não tanto e não de todos. Plenamente? Só de Deus.”