terça-feira, 11 de novembro de 2014

Em Defesa dos Trabalhadores Terceirizados no GDF, o Sindiserviços-DF Lidera Ato de Protesto no Buriti

Triste essa realidade...


        


Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Oliveira Silva (06/11/2014)


Cerca de seis mil empregados das empresas Juiz de Fora, Real JG Serviços Gerais, Servegel Apoio Administrativo e Suporte Operacional e Interativa Service, prestadores de serviços na limpeza e conservação de diversos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), ou tem verbas rescisórias a receber ou estão de aviso prévio ou prestes a perder o emprego.

Liderados pelo Sindiserviços-DF, os trabalhadores estarão realizando ATO DE PROTESTO, na quinta-feira (06), a partir das 8 horas, na Praça do Buriti, em frente ao Palácio do Governo do DF, para que seus direitos sejam respeitados e o emprego garantido.

Na tarde desta terça-feira (04), foi realizada audiência com o secretário de Estado de Fazenda do Distrito Federal (SEF/DF), Adonias dos Reis Santiago, solicitada pela deputada federal Erika Kokay (PT/DF) e que contou com as presenças da presidente Maria Isabel Caetano dos Reis, o diretor de Comunicação e Imprensa, Antonio de Pádua Lemos, assessores do Sindiserviços-DF e da parlamentar.

A deputada e os sindicalistas foram diretos e objetivos ao solicitar para o secretário Adonias do Reis que as parcelas devidas às empresas sejam diretamente utilizadas para o pagamento dos direitos dos trabalhadores. Pois, muitos pais e mães de família já não têm o que comer em suas casas.

O secretário, por sua vez, se comprometeu com a deputada e os representantes do Sindiserviços-DF, que estará se reunindo com o secretário de Estado da Casa Civil, Swedenberger do Nascimento Barbosa, o secretário de Planejamento e Orçamento, Paulo Antenor de Oliveira e demais autoridades do governo, para buscar uma solução que resolva o problema dos trabalhadores o quanto antes.

Para a presidente do Sindiserviços-DF, Maria Isabel, muitos trabalhadores estão passando por sérias dificuldades e não podem chegar no final do ano atolados em dividas pela falta do recebimento dos seus direitos e correndo risco de perderem seus empregos.

Ação Contra a Empresa Juiz de Fora

Após a substituição da empresa Juiz de Fora pela empresa Apecê Serviços Gerais, referente ao novo contrato dos serviços de limpeza e conservação do Hospital de Base de Brasília e a Farmácia Ambulatorial do SIA, a Secretaria de Estado da Saúde do DF reduziu no contrato 70 trabalhadores de um total de 400.

Tanto os trabalhadores dispensados ou os que desistiram de continuar no novo contrato, fazem parte da Ação Coletiva de 400 ex-trabalhadores da empresa Juiz de Fora que estão requerendo na Justiça do Trabalho o alvará para que possam sacar a multa de 40% do FGTS a que tem direito.

A Ação também exige que a empresa pague o seguro desemprego e todas as verbas rescisórias que os trabalhadores tem direito, conforme determina a Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O Assunto da Ação Coletiva contra a Juiz de Fora também foi abordado na reunião com o secretário Adonias do Reis. Ele ficou de incluir o assunto na pauta da reunião com as demais autoridades do GDF.