sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O Destino Desconhece a Linha Reta






destino, isso a que damos o nome de destino, como todas as coisas deste mundo, não conhece a linha reta. 

O nosso grande engano, devido ao costume que temos de tudo explicar retrospectivamente em função de um resultado final, portanto conhecido, é imaginar o destino como uma flecha apontada diretamente a um alvo que, por assim dizer, a estivesse esperando desde o princípio, sem se mover. 

Ora, pelo contrário, o destino hesita muitíssimo, tem dúvidas, leva tempo a decidir-se. Tanto assim que antes de converter Rimbaud em traficante de armas e marfim em África, o obrigou a ser poeta em Paris.


José Saramago, in 'Cadernos de Lanzarote (1994)'