sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Trabalhadores Terceirizados do DF Em Assembléia Permanente



Resultado
Data base 2016



Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Oliveira Silva 


Os trabalhadores terceirizados do Distrito Federal (DF), reunidos em Assembléia Geral da Data-Base, realizada na tarde/noite de ontem (26), no estacionamento do Teatro Nacional de Brasília, decidiram, por unanimidade, permanecer em Assembléia Permanente. 

A decisão foi aprovada por que os patrões não apresentaram nenhuma contraproposta à proposta aprovada na ultima Assembléia realizada no dia 05 de novembro passado: reajuste salarial de 30%, tíquete alimentação de R$ 28,00 e novas cláusulas sociais que passarão a vigorar a partir de 2015 na Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria. 

A presidente do Sindiserviços-DF, Maria Isabel Caetano dos Reis, disse para cerca de mil trabalhadores presentes na Assembléia, que na mesa de negociação com os patrões só foi debatido as novas cláusulas sociais. Mesmo assim, pontuou, pediram para analisar melhor as propostas. 

Isabel conclamou os trabalhadores a fazerem um trabalho de divulgação das decisões que estão sendo aprovadas e convencer os demais colegas de trabalho a participar efetivamente das decisões que serão tomadas nas próximas Assembléias da Data-Base. 

Ela ressaltou que a responsabilidade de tudo que está sendo aprovado nas Assembléias, é de total responsabilidade de toda a categoria, hoje estimada em mais de 70 mil trabalhadores no DF.


Terceirizados no GDF


O diretor Tesoureiro do Sindiserivços-DF, Osmar Felix, pediu uma salva de palmas aos combativos trabalhadores das empresas Juiz de Fora e G & E Serviços, que tiveram que realizar paralisações pontuais desde o inicio do ano para receber seus vencimentos. 

Aproveitou para alertar e pedir que os trabalhadores fiquem atentos. Pois, disse, que muitas empresas que têm contratos de prestação de serviços com o Governo do Distrito Federal (GDF), estão ameaçando não pagar os vencimentos de dezembro e o 13º salários dos trabalhadores, alegando que não estão recebendo o pagamento dos seus contratos com o GDF.

Insalubridade na UnB


O diretor de Comunicação e Imprensa do Sindiserviços-DF, Antonio de Pádua Lemos, após a fala do secretário Geral do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub),  Mauro Mendes, à qual suscitou o fato da reunião que participaram no Ministério Publico do Trabalho (MPT) com a deputada federal Erika Kokay (PT/DF), sobre o corte do benefício da insalubridade de 275 trabalhadores terceirizados na UnB, suspenso indevidamente no início deste mês.

Pádua informou aos terceirizados da UnB e que estavam presentes na Assembléia, que o Laudo Pericial solicitado pela Procuradora do Trabalho Paula de Ávila e Silva Porto Nunes, já estava concluído e que será entregue à direção da UnB para ela reaver imediatamente os diretos dos trabalhadores que estavam sendo desrespeitados.    

Falas de Apoio


A secretária de Relação Internacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comercio e Serviços (Contracs-Cut), Lucilene Binsfeld, saudou os trabalhadores presentes e reverenciou os muitos e incansáveis trabalhadores que se dedicam à luta por conquistas e avanços diversos para toda categoria. “Como é o caso da atual direção do Sindiserviços-DF”, disse. 

O secretária de Administração e Finanças da CUT Brasília, Julimar Roberto de Oliveira Nonato, externou que a Cut Brasília tem participado ativamente das reuniões com o GDF para sanar e garantir os salários e benefícios em dia para os trabalhadores de varias empresas prestadoras de serviços para o governo.

Disse, ao final da sua fala, que a luta por melhores salários e condições mais dignas para os trabalhadores terceirizados do DF, é a luta da Cut Brasília e de seus mais de 80 sindicatos e segmentos sociais filiados.

http://sindiservicodf.org.br/portal/index.php/materias/82-trabalhadores-terceirizados-do-df-em-assembleia-permanente