quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Lutar e Resistir Para Conquistar É Greve Geral


ResultadoData base 2016


Desde a aprovação da greve geral por tempo indeterminado pelos trabalhadores terceirizados do Distrito Federal (DF), na Assembléia Geral de Data-Base, realizada na quinta-feira 15 de janeiro, que o movimento grevista tem se ampliado com a adesão de mais trabalhadores que garantem que só retornarão aos postos de trabalho quando os patrões apresentarem uma proposta de reajuste salarial digna com melhores benefícios e respeito profissional e social.


Numa das tantas demonstrações de luta, resistência e unidade, mais de três mil trabalhadores terceirizados nos serviços de limpeza, conservação, manutenção, recepção, merendeiras, bilheteiros e apoio administrativos nos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), Governo Federal e empresas privadas, participaram da Marcha dos Trabalhadores Terceirizados, na quarta-feira 21, que seguiu do Teatro Nacional de Brasília pelo Eixo Monumental até a Praça do Buriti.

Em frente ao Palácio do Governo do DF, dirigentes do Sindiserviços-DF - sindicato que representa a categoria, representantes de vários outros sindicatos, segmentos da sociedade civil e a Central Única dos Trabalhadores (CUT Brasil e CUT Brasília), em Assembléia, fortaleceram apoio irrestrito à greve dos terceirizados e destacaram às justas reivindicações dos trabalhadores.





O movimento sindical, também foi unânime em avisar para a nova equipe do GDF, que com os direitos dos trabalhadores não se mexe e não vão aturar a redução de 20% de trabalhadores nos contratos de terceirização no GDF, conforme Decreto recentemente homologado pelo governador.

Para os sindicalistas, a medida é irresponsável e levará milhares de pais e mães de família ao desemprego.

Greve Forte e Vitoriosa





Em todos os postos de trabalho no Governo do Distrito Federal (GDF), no Governo Federal e nas empresas privadas, os prestadores de serviços na limpeza, conservação, manutenção, carregadores, merendeiras, recepcionistas, porteiros e apoio administrativos, estão de braços cruzados em protesto à proposta dos patrões de reajuste salarial de 8% e o mesmo índice de aumento para o tíquete alimentação.

A comissão de negociação composta pelos dirigentes do Sindiserços-DF, em todas as reuniões da mesa de negociação tem demonstrado para os patrões a insatisfação dos trabalhadores terceirizados do DF com o atual salário, tíquete alimentação e, em muitos casos, a forma desumana e arrogante que muitos trabalhadores são tratados.  Unidos Somos Fortes!!!

http://sindiservicodf.org.br/portal/index.php/materias/109-lutar-e-resistir-para-conquistar-e-greve-geral