segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Bazar: Uma ótima experiência de Vida e Empreendimento



Crise nunca foi novidade neste país.
Alguns cantam a pedra dizendo que ela é geradora de oportunidades. Fato. Não há, no caso, comodismo que impeça de olhar mais distante ou correr risco, ou dedicar mais tempo, ou, ou, ou...
Na atual conjuntura, a sacação do sistema de compras/vendas/consignação em bazares e brechós está tirando quem vende e quem compra do sufoco. Isso também é fato.
Resolve tudo? Não. Mas minimiza e dá um up, no caso da demanda de vestuário e acessórios, para que as pessoas ainda possam conduzir, não um processo de embelezamento, mas de estilo e evolução da própria imagem.
Tem muito dinheiro circulando? Óbvio que não! Mas está circulando...
E essa é a ideia: não deixar de fazer, mas ser comedido e investir pouco, pois, as prioridades são as mais diversas e inimagináveis. Cada um sabe onde lhe dói os excessos e as faltas.
Enfim, estou falando da experiência/aprendizado que o Bazar das Amigas está proporcionando a ambos os lados.
Pessoalmente, agradeço essa partilha, e por passar meu sábado com pessoas incríveis, antes desconhecidas, mas que curtem o trabalho e a dedicação que as Amigas(os) Neria Castro, Sonia Castro, Maria Jose de Castro, Maria Aparecida Ferreira, Samya Caroline Ferreira e Jean Carlos, tiveram ao longo de um ano de trabalho. Sim, UM ANO de Bazar das Amigas! Samantha Waritirre valeu a participação, ainda que por tão curto período. 
Um brinde a este processo, ao trabalho e às pessoas que, de algum modo dele participaram, participam e ainda participarão.
Um agradecimento especial a Layla Pêgo pelas conversas, boas ideias e por acreditar que o Bazar das Amigas estava no caminho certo, tornando-o objeto de estudo para seu TCC.

Está valendo, Amigas!